Saiba como abrir uma loja virtual: plataforma, logística e legislação

Porque a gestão de documentos é determinante para o sucesso de seu negócio
Porque a gestão de documentos é determinante para o sucesso de seu negócio
11 de julho de 2018

A ideia de abrir seu próprio negócio na internet sempre passa pela sua cabeça? Você não está sozinho. A possibilidade de não precisar comprar um ponto comercial e a imensa gama de clientes são atrativos ao pequeno ou microempreendedor. A novidade é que o mercado está aquecido; o faturamento do e-commerce no Brasil atingiu impressionantes R$ 59,9 bilhões no ano passado, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). E o melhor: o setor segue em alta em 2018, com expectativa de crescimento de 18% nesta temporada.

 

Como abrir uma loja virtual

Você sabe quais são os principais passos para iniciar seu e-commerce e aproveitar o contexto otimista do mercado? Hoje você vai aprender como abrir uma loja virtual a partir dos seguintes tópicos:

  • Plataforma;
  • Planejamento: administrativo e logística;
  • Legislação.

 

Plataforma

O primeiro passo da sua jornada é escolher qual tipo de plataforma vai abrigar a sua loja on-line. Tendo em mente o nicho em que se insere seu negócio, pense na melhor maneira de atingir seu público e encontre uma ferramentas que vai atender às suas necessidades.  

É comum que as empresas que têm lojas virtuais cresçam periodicamente, por isso é importante escolher um modelo que acompanhe o desenvolvimento do negócio. Não é interessante ter que refazer tudo caso suas vendas aumentem mais rapidamente do que o esperado e, assim, seu site acabe não comportando o fluxo de pessoas ou a quantidade de mercadorias a serem expostas.

 

Você pode escolher entre as seguintes opções:

Plataformas gratuitas

Apesar de não agregarem custo algum ao investimento, este tipo de plataforma é muito simples e não permite customização. Então, sua loja acaba assumindo uma identidade e funcionamento parecidos ao que se vê em todos os segmentos de venda on-line, dificultando a consolidação da sua marca.

 

Plataformas de código aberto

Também gratuitos, os sites de código aberto exigem que o usuário tenha conhecimento específico em programação utilizando códigos ou, então, que contrate um especialista. Apesar de permitir maior customização, você não terá suporte para promover alterações ou melhorias conforme suas vendas cresçam.

 

Plataformas pagas

Já as plataformas pagas, te oferecem o serviço integral, com customização e suporte. A qualidade da plataforma traz benefícios que podem impactar diretamente no resultado das vendas.

Optar por este tipo de solução garante o atendimento alinhado aos seus objetivos, desde o planejamento do negócio até a conclusão das vendas. Além disso, é possível que a mesma empresa oferte soluções para criar um site ou ainda ofereça uma plataforma que possibilita extrair relatórios automaticamente a partir dos dados cadastrados no sistema.

 

Planejamento: administrativo e logística

A parte complicada de se criar uma loja on-line, entretanto, fica invisível aos olhos do público – ao menos até que algum problema com uma entrega ou pagamento surja pelo caminho. A famosa administração é o setor responsável por controle financeiro a partir de emissões de notas fiscais, registro de pagamentos e gestão de estoque, por exemplo. É nesta etapa que se garante, de fato, a operação do negócio.

O ideal é que a integração entre o backoffice e a plataforma aconteça o mais rapidamente possível, facilitando o controle administrativo do negócio. Entretanto, é possível que no início da empreitada você assuma a função de tabelar tudo em uma planilha ou em um sistema de dados que utilize uma nuvem a custo zero.

Com o crescimento da sua loja virtual, entretanto, é preciso que uma plataforma automatize todo o processo. É costume no mercado que um sistema da informação seja utilizado a partir do momento em que a quantidade de pedidos diários supere uma dezena. É aí que entra em cena o ERP (sigla em inglês para Enterprise Resource Planning), que permite integração a bancos, meios de pagamento, operadores logísticos – como os Correios ou transportadoras – e sistemas de atendimento ao cliente.

 

Os seguintes processos devem ser bem coordenados por esse sistema:

  • Receber o pedido de venda gerado pela plataforma;
  • Verificar pagamentos – via boleto, cartões ou depósitos;
  • Separação e conferência dos pedidos;
  • Embalagem das mercadorias;
  • Emissão de notas fiscais e etiquetas;
  • Expedição ou despacho do produto;
  • Acompanhamento de entrega.

 

Legislação

Apesar de o processo de abrir uma loja virtual ser pautado basicamente na capacidade empreendedora, é impossível que tudo seja feito apenas com o conhecimento adquirido ao colocar a mão na massa. Como ponto de partida, é fundamental ter conhecimento sobre a regra de devoluções e trocas:

  • Em até sete dias após o recebimento do produto, o cliente tem o direito de desistir da compra;
  • É dever do e-commerce aceitar a devolução e cobrir os custos, enquanto o cliente deve entregar a mercadoria em condição de ser vendida novamente;
  • Em caso de defeito, o cliente tem até 30 dias para pedir a troca;
  • Em caso de troca sem motivo, é a loja que deve decidir se aceita ou não a devolução.  

 

A Nova Lei do E-commerce adicionou novas regras ao processo de venda e exige ainda mais atenção do lojista ao lidar com o seu cliente. Assim, não se deve nunca negligenciar o fornecimento de informações em seu site ou plataforma. Segundo a Lei do E-Commerce, é preciso informar sempre os dados da empresa no rodapé da página – tais quais CNPJ/CPF, endereço e nome da empresa ou do vendedor. As despesas adicionais – como frete ou seguro – devem ser sempre descritas pelo vendedor antes da conclusão da compra.   

De maneira resumida: é fundamental ter contratos de venda completos com todos os custos; endereços eletrônicos e físicos claros e disponíveis; confirmação da compra por etapas; validação dos processos de segurança das informações; identificação completa do fornecedor e regras para estornos ou compras realizadas coletivamente.

Agora que você já sabe um pouco sobre como abrir uma loja virtual, entendendo qual é a melhor maneira de escolher sua plataforma de venda, e já está familiarizado com o processo de gestão backoffice e aspectos jurídicos essenciais, é hora de focar em empreender. E para manter-se atualizado, fique atento aos textos do nosso blog e não perca nenhuma das nossas dicas de gestão empresarial.

 

Terra Empresas

Escrito Por

Terra Empresas

O Terra Empresas traz soluções completas para você realizar negócios com os melhores produtos e serviços digitais

Próximo
Deixe seu Comentário
Blog
Conheça nossos Produtos