Fluxo de caixa e capital de giro, quais são as diferenças

publicado por Terra Empresas

Minutos de Leitura 5min leitura

Fluxo de caixa e capital de giro, quais são as diferenças

Para quem está começando a empreender, os termos fluxo de caixa e capital de giro muitas vezes são confundidos. Porém, é importante ter em mente que são coisas diferentes e que devem ser tratados com atenção para que o resultado final do negócio alcance o patamar esperado. Mas vale lembrar: apesar de diferentes, eles caminham juntos.

Começamos com uma definição simples dos termos. Enquanto o fluxo de caixa é a movimentação financeira de tudo o que foi pago e recebido pela empresa, o capital de giro está relacionado ao que é investido para formar o estoque do negócio.

Fluxo de caixa e capital de giro

Para falar de fluxo de caixa e capital de giro é bom usarmos alguns exemplos para que as coisas fiquem mais claras.

Capital de giro

Esses recursos são necessários para que o negócio possa tocar as suas atividades, principalmente para manter os estoques ativos e dessa forma não interromper as vendas.

Quando se fala em uma empresa, as datas de pagamento e de recebimento quase nunca são “casadas”. Por isso, o capital de giro vai servir justamente para cobrir as operações dos recursos circulantes. Por exemplo, fazer o pagamento de um fornecedor enquanto você não recebe o dinheiro das vendas. Esse dinheiro também vai servir para a compra de matéria prima, o pagamento de mão de obra, entre outros.

Usar o capital de giro para outros fins, muitas vezes provoca dificuldades para o negócio. Portanto, ele deve ser utilizado apenas para a sua finalidade.

Gastos em maquinários, treinamentos e ampliação do negócio devem ser feitos com capital de investimento, também conhecido como capital de longo prazo, captado para este fim. Normalmente eles possuem prazos longos para pagamento e taxas de juros mais compatíveis. Ou seja, nem pensar em utilizar o capital de giro para isso.

Fluxo de caixa

Para calcular o fluxo de caixa, a operação é mais complexa. O objetivo dele é calcular o saldo disponível e projetar o que estará à disposição para o capital de giro, para possíveis aplicações e até para gastos eventuais, que muitas vezes se fazem necessários.

Nele, devem ser registrados todos os recebimentos, incluindo compras à vista, à prazo e duplicatas, entre outros. Dele devem ser descontados todos os pagamentos que a empresa realiza. Também devem entrar os pagamentos e recebimentos disponíveis, no maior horizonte possível, para um melhor planejamento.

Se o seu negócio é pequeno, o fluxo de caixa pode ser calculado manualmente, com um caderno de entradas e saídas. Mas se você é mais afeito à tecnologia, uma planilha eletrônica (há uma infinidade no mercado) ou um programa de gestão vão ajudar você na tarefa.

Quando se elabora fluxo de caixa e capital de giro de maneira precisa, o empresário passa a ter uma visão de presente e futuro, o que vai ajudar muito a entender as necessidades do negócio e avaliar a disponibilidade de caixa e a liquidez da empresa.

Apesar de trazerem conceitos diferentes, fluxo de caixa e capital de giro caminham sempre mais ou menos juntos.

Um exemplo é quando uma empresa tem uma venda maior em um determinado mês, diferente da sua média. Se não houver organização, podem acontecer falhas no fluxo. Uma situação comum é quando os pagamentos acontecem antes dos recebimentos das vendas. É aí que uma reserva de capital de giro vai atuar. 

Se estiver faltando dinheiro no caixa, é bom observar também se as vendas estão abaixo do seu ponto de equilíbrio. Se esse for o caso, é preciso tomar providências para que esse problema não se repita de forma contínua.

Controle financeiro

Para que a sua empresa possa crescer, o controle financeiro tem de ser muito bem conduzido. Somente um bom fluxo de caixa permite saber quanto dinheiro haverá no caixa de empresa em cada momento do ano e planejar investimentos ou remanejamentos no orçamento. Ao saber quanto dinheiro estará disponível ao longo do ano, seus objetivos de aumentar a equipe, fazer investimentos ou trocar a sede podem ser planejados para o momento mais adequado.

Se você precisa de mais dicas de gestão, clique aqui e acesse o material gratuito do Terra Empresas.

FacebookTwitterLinkedin
Topo

Guia para usar as redes sociais no pequeno negócio

Saiba tudo sobre as principais redes sociais e comece a conquistar clientes pela internet já!

Enviando...

Ao enviar, você concorda em compartilhar suas informações com o Terra Empresas. Poderemos usá-las de acordo com nossa política de privacidade.