Menu Terra Blog Empresas

MEI: como se manter firme durante a crise do coronavírus

publicado por Terra Empresas

Minutos de Leitura 11min leitura

MEI: como se manter firme durante a crise do coronavírus

O enfrentamento da crise mundial em decorrência do coronavírus deve ser feito de maneira firme e sólida. Os microempreendedores individuais (MEIs) precisarão criar soluções e novas formas de fazer negócios. Por sorte, a grande aposta está na presença digital.

Parece uma coisa batida e bem clichê, mas muitas marcas e empresas ainda não estão consolidadas nas redes sociais e nem possuem lojas virtuais. Para se ter uma noção, em julho de 2019, uma pesquisa realizada pela BigData Corp em parceria com a PayPal Brasil identificou que existem apenas 930 mil lojas virtuais.

Isso é um número relativamente baixo, apesar do crescimento ano a ano do tipo de comércio, em função do número de consumidores virtuais, que chegam a 58 milhões de consumidores online, o que representa 27% dos cidadãos brasileiros, segundo a mesma pesquisa.

As lojas virtuais não são a única solução para os MEIs, nesse momento, pois há ainda outras ideias para que possam sair fortalecidos dessa crise, as quais listamos a seguir. 

Além disso, ao final do texto, liberamos uma cartilha para que você marque sua presença nas redes sociais e crie novas formas de comunicação com seus clientes e futuros clientes, pois essa é a tendência na qual acreditamos.

Vamos começar com as dicas?

1. Informe-se sobre as medidas do governo para sua empresa

É importante você conhecer os pacotes de medidas anunciadas e ver qual delas pode beneficiar o seu negócio. 

Por exemplo, o governo criou uma série de medidas para ajudar os pequenos e médios empresários, como a suspensão por três meses do Simples Nacional, por exemplo. 

A FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) anunciou que as possíveis dívidas que o MEI possa ter com alguns dos maiores bancos brasileiros poderão ser prorrogadas por até 60 dias.

As empresas consideradas boas pagadoras também terão mais facilidade ao renegociar suas dívidas, conforme anúncio do Conselho Monetário Nacional (CMN).

Existem muitas linhas de crédito para capital de giro sendo disponibilizadas com taxas bem baixas, mas é preciso cautela: calcule tudo.

Faça suas contas, antes de sair pedindo empréstimo. É preciso cautela e controle: controle tudo que você puder e diminua ao máximo as suas despesas.

2. Negocie com seus fornecedores

Se você está com pagamento programado para os seus fornecedores, é importante tentar negociação de preços e prazos. 

Assim como o próprio governo está fazendo a sua parte, prorrogando o Simples Nacional e o FGTS, para as empresas maiores, é possível tentar barganhar alguma prorrogação de pagamentos ou desconto.

Aliás, se você achar viável para o seu negócio, é importante tentar fazer algum estoque de algo não perecível – mas apenas se você tiver previsão de vender isso depois. 

Agora é o momento de encontrar aqueles fornecedores que são parceiros, pois todos enfrentarão esse momento, mas se houver união, todos sairão mais fortes.

3. Controle seu fluxo de caixa

É preciso contar com um certo planejamento, de preferência que tenha sido feito antes dessa crise.

Caso você não conte com uma reserva financeira, há sempre a alternativa de capital de giro, mas com cautela e prudência, para não se endividar.

O fluxo de caixa deve ser prática ainda mais sólida, nesse momento, a fim de evitar todos os custos e despesas desnecessários. É hora de ser prudente e fechar a mão. 

Veja dois exemplos de como segurar as pontas:

  • diminua posts patrocinados nas redes sociais: ao invés disso, aproveite o tempo livre para criar conteúdo relevante, atraindo possíveis clientes; e
  • cancele assinaturas desnecessárias, como revistas, por exemplo, pois é possível encontrar muita coisa de graça, hoje em dia.

Seja de maneira virtual ou apenas com lojas físicas, lembre-se da importância de gerir seus recebimentos e boletos, para poder focar nesse planejamento bem feito.

Uma boa dica é aderir a uma plataforma de gestão de boletos bancários, como a Cobre Fácil, por exemplo, por conta das suas funcionalidades.

Nesse momento, prefira soluções para recebimentos à distância, como a fatura digital e a emissão de boletos online. Some isso à vantagem do envio de mensagens para lembrar os seus clientes do pagamento, de forma automática, e continue faturando e cuidando das suas entradas, de forma inteligente.

4. Analise seus riscos

Acompanhe o mercado e as notícias o tempo todo, enquanto você acompanha e planeja o financeiro da sua empresa ao mesmo tempo.

Crie planos de ação para todos os cenários: do pior ao melhor, de acordo com o seu negócio e projeções do mercado para o seu setor, pois é preciso que você entenda até onde consegue chegar sem ajuda e também se você pode bancar alguma ajuda, como um empréstimo, por exemplo.

5. Criatividade na oferta de produtos e serviços

Não dá mais para pensar no modelo tradicional de comércio: uma lojinha aberta numa rua ou shopping. Estamos experimentando uma época de isolamento e quarentena e isso significa que o comércio, vai ter que fechar as portas, eventualmente.

Isso porque, até o momento, o isolamento social foi a única maneira encontrada que consegue diminuir a disseminação do vírus, que tem se propagado a uma velocidade que está impressionando a ciência.

E ao pensar nisso, é preciso que o MEI reinvente sua maneira de vender. Uma das ideias que mais vão aparecer é o delivery, de QUALQUER produto.

Estamos muito acostumados a pensar em comida, mas o delivery pode entregar qualquer produto: remédios, roupas, jogos, pijamas, compras de mercado, pães da padaria. É só vender e entregar para o cliente.

Esta época vai consolidar a internet no meio dos negócios e é bom para todas as marcas começarem a fortalecer sua presença digital.

Se você tem um restaurante, por exemplo, que tal vender comida congelada ou pronta, de uma receita nova e exclusiva? Ou vender vale-refeição, para que a pessoa possa consumir o que quiser, hoje ou no futuro?

Já se o seu estabelecimento teve que fechar as portas, faça vendas pelo FaceTime, que tal?

É preciso ser criativo e encontrar soluções de acordo com a sua capacidade e produto ou serviço.

6. Presença digital

Crie sua conta nas redes, produza material, aproveite o tempo livre para aprender a mexer em ferramentas de edição e criação.

Vire uma marca relevante e atinja as pessoas certas, considere a possibilidade de criar uma loja virtual.

Num momento de comércio fechando suas portas físicas, é importante continuar as vendas e o faturamento e, justamente por isso, é imprescindível abusar da internet agora. 

Já podemos ver aulas de ioga e de outras atividades físicas sendo disponibilizadas online, bem como cursos de culinária e de maquiagem.

Para os produtos é ainda mais fácil, pois basta entregar para o seu cliente. Aliás, os correios não pararam suas atividades e o delivery tende a crescer nesse momento, como já falamos. 

Há inúmeros meios de criar uma loja virtual de modo profissional e é importante buscar ferramentas que ofereçam funções importantes para a gestão desse seu novo empreendimento, como:

  • Gestão de carrinhos abandonados: você consegue saber exatamente qual cliente não concluiu a compra de qual produto, podendo enviar ofertas personalizadas, por exemplo.
  • Criação automática de cupons de descontos: essa é uma maneira de incrementar suas vendas, tanto para carrinhos abandonados, quanto para estoques parados.
  • Administrador de estoque: nas lojas físicas você faz o inventário, certo? Na virtual isso é tão importante quanto e é de forma mais inteligente ainda.
  • Relatórios de estatísticas: esse item é essencial para manter a gestão do seu negócio e é por meio deles que você pode verificar fluxo de caixa, últimas vendas e os produtos mais vendidos, por exemplo.
  • Integração com correios: as compras online podem ser despachadas por correios ou transportadoras, você define. Contudo, se optar pelos correios, é importante que o seu sistema de loja virtual tenha integração, para facilitar a gestão das entregas e recebimentos. Vale mencionar que é importante buscar integração também com o WhatsApp, para facilitar a comunicação com os seus clientes.

O Terra Empresas disponibiliza todas essas funcionalidades no seu produto de loja virtual e, se você tiver interesse, confira as condições, falando diretamente com um dos consultores.

Agora, para saber como se posicionar nas redes, criamos uma cartilha para que você possa começar já a fortalecer sua marca de produtos ou serviços. O importante é que, com ou sem loja virtual, você coloque sua empresa na internet, seja através de um site básico e simples e/ou das redes sociais.

FacebookTwitterLinkedin
Topo



Veja também