Menu Terra Blog Empresas

Como fazer um planejamento estratégico: os primeiros passos na pequena empresa

publicado por Terra Empresas

Minutos de Leitura 13min leitura

Como fazer um planejamento estratégico: os primeiros passos na pequena empresa

Ano novo, metas novas. A virada traz para os negócios novos desafios e demandas. Para ter o sucesso esperado, os empreendedores precisam saber como fazer um planejamento estratégico eficaz.

Ao contrário do que possa parecer, esse documento é mais simples do que aparenta. A sua complexidade vai depender mais do tamanho do seu negócio. 

Mas, quando pensamos em negócios individuais ou pequenos, há dicas simples que podem ser adotadas para acertar nessa construção.

Se você está em busca de ter uma empresa com boas práticas de gestão, então precisa acompanhar este conteúdo. 

Ao longo deste artigo, você aprenderá como fazer um planejamento estratégico para colocar uma pequena empresa na rota do crescimento sustentável. Então, vamos lá?

O que é planejamento estratégico?

Antes de aprender como fazer um planejamento estratégico, é necessário entender o que é isso, não é verdade? Esse conceito é muito comum em grandes empresas, e é uma boa prática de gestão, indicada por todo e qualquer negócio.

O planejamento estratégico é um documento em que há a apresentação e formalização das metas do negócio. Assim, se você quer ter um faturamento de R$ 82 mil anual, por exemplo, isso deve ser documentado nesse material. 

Em resumo, é o arquivo em que há o registro de onde o negócio estava no fechamento do ano anterior, onde ele quer chegar e como.

É importante pensar nisso. Afinal, a maior taxa de mortalidade de pequenas e médias empresas acontecem nos primeiros cinco anos, de acordo com a pesquisa Sobrevivência de Empresas, realizada pelo Sebrae em 2020

Dentre os fatores predominantes, a falta de planejamento do negócio, por exemplo, é um dos principais vilões.

Quem elabora o planejamento estratégico?

O responsável pela elaboração depende do tamanho do negócio e de outros fatores, como a decisão de contar com o suporte de uma consultoria. Mas, os tomadores de decisões são pessoas essenciais nessa construção.

Pequenas e médias empresas vão sempre contar com os proprietários nesse planejamento. Mesmo que haja gerentes para isso, é importante ter as diretrizes dos idealizadores do negócio. 

No entanto, o microempreendedor não tem muitas alternativas a não ser ele mesmo, não é verdade? 

No entanto, caso esteja com receio ou ainda com muitas dúvidas em como fazer um planejamento estratégico, vale contar com ajuda especializada, como a do Sebrae. Essa instituição é referência em suporte para o micro e médio empreendedor brasileiro.

Qual a função do planejamento estratégico?

Quando um capitão navega seu barco, esse profissional precisa ter, pelo menos, duas coisas: uma bússola e um plano de navegação. Sem esses dois instrumentos, o navio pode desviar da rota, ficar à deriva ou mesmo cair em um trajeto perigoso para os tripulantes.

O planejamento estratégico seria como o plano de navegação, que mostra o ponto de partida e o de chegada. Assim, no contexto da gestão de negócios, a bússola seria os recursos aplicados para controlar e garantir o resultado esperado.

Então, entender como fazer um planejamento estratégico é essencial para direcionar o seu negócio na rota correta. Isso significa que o plano é imutável? Não. É importante que você, como pessoa empreendedora, estimule a sua capacidade de adaptação. 

Às vezes, acontecem cenários impossíveis de serem previstos antes e é preciso cuidado para acertar na decisão. Quem iria imaginar que viveríamos uma pandemia mundial e que ela duraria, pelo menos, dois anos?

Como fazer um planejamento estratégico?

O primeiro passo consiste em conhecer a operação do seu negócio. Ou seja, é preciso saber o que deu certo e errado no ano anterior, e o que poderia ter sido feito e não foi.

Para tanto, é interessante fazer um diagnóstico do negócio. Isso pode ser feito considerando tanto os indicadores financeiros, como faturamento e receita, como outras métricas que foram usadas na gestão. 

Nesse sentido, a matriz SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats, ou Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças) é uma ferramenta eficaz. 

Ela pode ser a primeira ação para montar o seu planejamento estratégico. A seguir, veja as boas práticas que não podem faltar:

Revise sua cultura

A cultura é ponto chave para o planejamento estratégico, pois ela diz onde você quer chegar e o como, considerando os valores éticos e morais. Por exemplo, todo negócio quer o crescimento, mas é a qualquer custo?

Assim, é interessante olhar o seu quadro de valores organizacionais: 

  • Missão;
  • Visão;
  • Valores. 

É válido pensar onde o seu negócio quer chegar em um período de cinco anos. Pode acontecer das diretrizes mudarem nesse período, mas é difícil.

Tenha metas realistas

Um dos equívocos mais comuns, e que gera bastante dúvidas em como fazer um planejamento estratégico, é a escolha das metas. 

Todo negócio precisa enfrentar desafios para crescer, mas eles devem ser realistas e alcançáveis.

Ter metas discrepantes da sua capacidade de operacionalização, além de nunca conquistá-las, vai gerar desânimo. Então, o ideal é ter metas de crescimento menores, porém constantes e segmentadas por trimestres.

Nesse sentido, suponhamos que você tem uma loja virtual de roupas e quer aumentar o seu faturamento.

Vale realizar um benchmarking, ou uma pesquisa no Google, e ver a média de outros negócios do seu segmento. Nesse cenário, planejar um crescimento de 20% a 30% ao ano é razoável.

Cuide dos indicadores

Essa verdade pode até ser dura: não adianta definir metas se escolher os indicadores de performance e resultado errados.

Todo o seu esforço, tempo e dinheiro podem ser jogados fora. Por isso, entenda bem a sua operação e as metas para definir quais métricas serão usadas.

No exemplo da loja virtual de roupas, quais indicadores têm relação com o faturamento? Métricas de marketing e vendas. 

As de marketing dependerão dos canais de aquisição usados, mas algumas de vendas são universais, como:

  • Conversão;
  • Ticket médio;
  • Faturamento mensal;
  • Evolução mês a mês etc.

Defina seu orçamento

O orçamento é um dos aspectos mais estratégicos desse planejamento. Se o seu negócio gasta mais do que vende, ele vai sempre fechar no vermelho, não é verdade? 

Por isso, é preciso fazer uma projeção dos seus custos e despesas mês a mês, definindo um desvio padrão limite. Ou seja, quanto você pode gastar a mais, fora do previsto, sem impactar negativamente no seu orçamento. 

Nesse cenário, é importante prever custos com expansão e investimentos, como compra de equipamentos. 

Como criar um planejamento estratégico eficiente para pequenas empresas?

As pequenas empresas têm muitos desafios e, frequentemente, eles estão relacionados a três aspectos: 

  1. Fluxo de caixa;
  2. Rotinas manuais;
  3. Proprietários com acúmulo de tarefas. 

Entenda agora como desviar dessas “pedras no caminho”:

Fundo de reserva

O mais saudável para as finanças do seu negócio é, para além da definição do orçamento, já ter esse valor disponível em um fundo de reserva. 

Se você ainda não ouviu falar sobre esse conceito, saiba que ele diz respeito ao ato de guardar dinheiro e investir com o intuito de usar em situações de emergência. 

Ou seja, ele deve ter sido construído ao longo do ano anterior e essa boa prática deve estar presente no seu planejamento.

Para montar um fundo de emergência, os analistas de investimentos orientam que se busque por produtos financeiros de baixo risco e de alta liquidez. No atual momento econômico do Brasil, as aplicações em Renda Fixa, como CDBs, se destacam. 

Nunca invista na poupança, porque ela rende menos que a inflação, ou seja, você perde dinheiro. Aliás, essa é uma boa prática que vale também para as finanças pessoais. 

O seu negócio pode abrir uma conta em uma corretora e realizar aplicações. Inclusive, essa é uma estratégia feita por grandes empresas, que alocam parte dos seus recursos em outras ou emprestam para bancos.

Tecnologia

A tecnologia é uma das melhores amigas de qualquer negócio, tanto de grandes empresas como das pequenas. Quando aplicada de forma estratégica, tem o potencial de promover escalabilidade, aumento de produtividade e redução de custos operacionais.

As empresas que estão com o seu processo de transformação digital amadurecido, apresentam um EBITA (lucro antes das deduções) cinco vezes maior em comparação com as outras, segundo um estudo conduzido pela consultoria McKinsey.

O amadurecimento em tecnologia não tem a ver com o tamanho do negócio, e sim com o grau de compromisso do planejamento estratégico com a inovação. 

A inteligência artificial, por exemplo, ajuda o pequeno e médio empresário a entregar mais qualidade, com menor investimento.

Parcerias estratégicas

Uma das dores mais comuns dos pequenos e médios empreendedores é o fato de serem profissionais multitarefas. 

Quando se começa a gerenciar, existe uma tendência de centralizar as coisas. Isso é um equívoco que pode custar a existência do seu negócio e a saúde do empreendedor.

Por isso, faça uma lista de quais atividades você pode contratar um freelancer ou mesmo um profissional terceiro ou CLT para executá-las. 

Essa decisão vai ajudar você a ter mais energia para focar em pontos estratégicos do negócio, como a sua atividade-fim e a expansão da sua operação. Além disso, você terá mais qualidade de vida.

Por exemplo, para que a loja de roupas virtual apresente o crescimento de 30% ao ano, é necessário realizar algumas ações, não é verdade? Para tanto, é preciso investir em estratégias de marketing digital, e uma delas é o e-mail marketing.

Há várias alternativas, como contratar um software e ter um profissional freelancer para escrever o texto. As escolhas vão depender do orçamento disponível e da velocidade que o empreendedor quer que as entregas aconteçam.

Conclusão

Agora que você sabe mais sobre como fazer um planejamento estratégico, pode estar se perguntando: o que é preciso para implementá-lo no meu negócio?

A resposta é mais simples do que parece. Quem empreende precisa ter três qualidades: 

  1. Organização;
  2. Constância;
  3. Propósito.

A organização vai te ajudar a ter uma rotina mais fluida e uma melhor gestão de tempo. 

Enquanto a constância é responsável por grandes conquistas no longo prazo, feitas pouco a pouco diariamente. 

E, para fechar essa “receita”, ter propósito é fundamental para não perder a motivação.

Então, esperamos que este artigo tenha ajudado você a entender melhor como fazer um planejamento estratégico para o seu negócio. 

Use este conteúdo sempre que precisar, e fique de olho no nosso blog, porque sempre temos novidades especiais.

Até logo!

FacebookTwitterLinkedin
Topo



Veja também