Menu Terra Blog Empresas

Entenda o que é empreendedorismo feminino e os principais desafios

publicado por Terra Empresas

Minutos de Leitura 9min leitura

Entenda o que é empreendedorismo feminino e os principais desafios

Sabemos o quanto ter um negócio no Brasil é desafiador para qualquer pessoa que deseja deixar sua marca no mercado. Se para um homem já não é fácil ser empreendedor, o empreendedorismo feminino enfrenta barreiras ainda maiores.

As mulheres já provaram o seu valor e que estão prontas para ocupar qualquer espaço da sociedade, seja na vida pessoal ou profissional. Acontece que, por uma questão cultural, o mundo dos negócios ainda é dominado pela classe masculina. 

Por isso, nada mais justo do que debater sobre o papel da mulher como empreendedora e suas contribuições para a fomentação e crescimento da economia. Veja um resumo do que você vai encontrar neste artigo:

  • O que é empreendedorismo feminino? 
  • Qual o objetivo dele? 
  • Quais os tipos de empreendedorismo feminino no Brasil?
  • Quais os principais desafios? 
Empreendedorismo feminino

O que é empreendedorismo feminino? 

Falar de empreendedorismo geralmente faz as pessoas pensarem em grandes empresas ou projetos revolucionários. No entanto, empreender vai além disso — tudo aquilo que é capaz de identificar uma oportunidade e transformá-la em um negócio pode ser classificado como o ato de empreender. 

O empreendedorismo das mulheres surgiu dessa vertente empreendedora, mas cresceu e, atualmente, desperta a atenção do mercado para a liderança feminina. Como importante instrumento de transformação social, é um movimento capaz de mudar a vida de uma mulher e das pessoas ao redor dela. 

A Rede Mulher Empreendedora realiza anualmente, desde 2016, uma pesquisa de levantamento aprofundado de dados sobre o empreendedorismo feminino no Brasil. A última edição trouxe o tema “Mulheres empreendedoras 2021”, com um panorama geral sobre o assunto. 

Dos mais de 2.700 entrevistados, entre homens e mulheres, 72% das mulheres empreendedoras afirmam que são total ou parcialmente independentes financeiramente — os números mostram uma evolução da autoconfiança e independência. 

Ainda segundo um estudo feito pelo SEBRAE, de 2001 a 2011, o número de mulheres empreendedoras cresceu 21%, enquanto o de homens subiu apenas 9%. 

Esse dado mostra a tendência que o mercado está seguindo há algum tempo e pode ser uma ótima oportunidade para você, mulher, que está pensando em empreender.

Empreendedorismo feminino

Qual o objetivo do empreendedorismo feminino? 

Você já parou para pensar que há menos de 100 anos as mulheres não votavam e nem podiam estudar aqui no Brasil? 

Há pouco mais de 50 anos, esposas precisavam da autorização do marido para trabalhar. Tudo isso pode parecer uma realidade distante, mas nos dias atuais, elas ainda recebem menos do que os homens.

O empreendedorismo feminino tem ajudado muitas mulheres a encontrar uma forma de se sustentar e, enfim, ocuparem espaços de liderança na sociedade. 

Segundo alguns estudos, muitas empreendedoras buscam o lucro para conseguir uma satisfação pessoal. 

Embora desejem ter o próprio dinheiro e independência, elas empreendem por motivos diferentes dos homens. Conquistas como poder e dinheiro dão lugar a pontos mais importantes, vinculados aos ideais e emoções. 

O empreendedorismo das mulheres também foca:

  • Na realização de um sonho;
  • Em trabalhar com o que se gosta;
  • Na qualidade em vez de quantidade;
  • No bem-estar da família;
  • No desejo de liberdade.
Empreendedorismo feminino

Quais os tipos de empreendedorismo feminino no Brasil?

Uma mulher empreendedora é capaz de comandar qualquer empreendimento, portanto, não existem tipos específicos para elas. 

No entanto, existem nichos que podem ser explorados tanto por elas quanto por homens, preparados para alavancar um negócio e ter sucesso no mercado. Veja quais são eles:

Empreendedorismo corporativo

Também chamado de intraempreendedorismo, é caracterizado por um comportamento empreendedor de alguém que trabalha dentro da empresa e, mesmo sem ser o dono, tem espírito criativo e inovador. 

Muitas mulheres conseguem ajudar no crescimento de uma companhia a partir dessa veia empreendedora e, quem sabe no futuro, abrir seu próprio negócio.

Empreendedorismo de pequenos negócios

Seja sozinha, junto com amigos ou família, é o tipo comum de empreendedorismo em que a mulher pode definir a abertura de um negócio menor, como EEP, MEI ou ME — é o caso das lojas de bairro, salões de beleza, lanchonetes e padarias.

Empreendedorismo startup

Um novo tipo de negócio pode surgir de uma grande ideia e ganhar rápido o mercado, como aconteceu com as startups:

  • Uber;
  • iFood;
  • Airbnb;
  • PagSeguro;
  • Gympass;
  • Quinto Andar;
  • Nubank;
  • Carinos;
  • Muda meu mundo;
  • NeuralMind;
  • Sofi.

Sendo que as quatro últimas são comandadas por mulheres.

Empreendedorismo social

Quem deseja causar um impacto positivo na sociedade, opta pelo empreendedorismo social. 

É uma forma de contribuir com soluções que ajudem a melhorar questões que, muitas vezes, são de responsabilidade governamental — neste tipo de empreendedorismo o lucro fica em segundo plano.

Empreendedorismo digital

Aproveitando as facilidades da tecnologia, bem como o acesso e interação pelas redes sociais, muitos empreendedores têm investido neste tipo de empreendedorismo.

O baixo investimento e a possibilidade de trabalhar remotamente são excelentes atrativos, principalmente para quem precisa cuidar da casa e dos filhos.

Empreendedorismo sustentável

Mais um tipo de negócio de impacto social, dessa vez voltado para a preservação do meio ambiente e conservação dos recursos para as gerações futuras. 

Muitos empreendedores, preocupados com o legado dos filhos, atuam na conscientização e adoção de medidas mais ecológicas, que podem se tornar negócios de recicláveis, por exemplo. 

Empreendedorismo feminino

Quais os principais desafios? 

Apesar de comprovado o potencial feminino e talento para o empreendedorismo, as barreiras resistem, muitas ainda presas no passado e que não fazem o menor sentido na atualidade. Confira, a seguir, as principais:

1. Lugar de mulher é…

As mulheres precisam mostrar diariamente à sociedade que o lugar delas é onde elas quiserem. No mercado de trabalho, as empreendedoras ainda têm dificuldades para serem respeitadas, principalmente quando lidam diretamente com homens.

2. Confiança

O desafio anterior acaba refletindo nas questões relacionadas à autoconfiança das mulheres. Um empreendedor que tem medo de investir acaba se limitando. 

Como as mulheres começaram a ter contato com o mundo dos negócios mais recentemente em relação aos homens, muitas delas ainda se sentem inseguras e despreparadas para tocar o negócio próprio.

3. Representatividade

Por ser um ambiente majoritariamente masculino, muitas mulheres ainda se sentem intimidadas na hora de fazer o importante networking

Afinal, por haver menos mulheres líderes no mercado, muitas ainda não têm uma inspiração para seguir ou buscar apoio na hora de tirar as dúvidas ou compartilhar experiências. Não tenha esse medo! 

4. Jornada múltipla

Os empreendedores masculinos saem para o trabalho deixando para trás a casa e a família sob os cuidados da mãe ou esposa. Culturalmente, o homem é o provedor e a mulher é responsável pelos outros aspectos das relações humanas. 

Portanto, as empreendedoras precisam absorver uma carga triplicada, pois, além do negócio, continuam cuidando do lar, dos filhos e até do marido. 

Essa é uma das grandes barreiras vivenciadas dentro do empreendedorismo feminino, pois ainda se entende que se a mulher deseja ter espaço competitivo no mercado, que se desdobre para dar conta de uma jornada múltipla.

Conclusão

Segundo dados do Censo da Educação Superior, as mulheres são maioria em cursos brasileiros de graduação: 57%. Esse dado revela que elas estão cada vez mais em busca de se aperfeiçoarem em suas respectivas carreiras.

Dessa forma, a expectativa é que o empreendedorismo feminino continue crescendo pelos próximos anos. Embora ainda haja um longo caminho a ser percorrido, a tendência é que ele fique menos tortuoso. O futuro, realmente, é das mulheres! 

Até breve!

FacebookTwitterLinkedin
Topo



Veja também