Saiba mais sobre os tipos de empreendedorismo

publicado por Terra Empresas

Minutos de Leitura 6min leitura

Saiba mais sobre os tipos de empreendedorismo

Quando se pensa em começar a empreender, normalmente a pessoa pensa no bloco do eu sozinho. Algo do tipo: tenho uma boa ideia e se der tudo conforme o planejado em algum tempo eu passarei a ter dentro da atividade escolhida a minha única ou principal fonte de renda. O empreendedor com esse perfil é conhecido como “informal”. Trabalha para garantir o seu sustento, mas não tem muitos planos para o futuro.

Para você, que já começou a empreender, vale a pena conhecer outros tipos de empreendedorismo, com exemplos sobre o que pode ser feito. Vamos listar aqui cinco opções com novas ideias para que, quem sabe, você consiga ampliar a sua área de atuação.

1) Normal

O empreendedor normal é aquele que se planeja para abrir o seu primeiro negócio. Primeiro ele vai atrás da capacitação e tem como planos não apenas a sobrevivência, mas uma preocupação com os próximos passos, ou seja, como vai fazer para conseguir crescer. O planejamento é importante para minimizar riscos. Com o conhecimento, ele tem uma boa visão de mercado. Tem como principais objetivos os resultados de longo prazo. Com isso reinveste parte do resultado para aumentar as chances de conseguir um crescimento sustentável.

2) Do conhecimento

Via de regra, o empreendedor do conhecimento busca utilizar tudo o que aprendeu ao longo da sua carreira para ser uma referência na sua área de atuação. Dessa maneira ele consegue juntar a realização profissional e pessoal em uma única missão. Especializado na sua área de atuação, tem como objetivo fazer a diferença. Escritores, artistas e jornalistas podem ser considerados empreendedores do conhecimento ao oferecerem soluções para os mais diferentes tipos de negócios, por exemplo. Um jornalista pode criar conteúdo para uma empresa, seja em texto, vídeo ou áudio. Um escritor pode colaborar com outros negócios, ajudando a fortalecer a marca. Um artista pode trabalhar com publicidade. São várias atividades que podem ser contempladas, de acordo com o seu ramo de atuação.

3) Cooperado

Os empreendedores cooperativos, ou cooperados, buscam vantagens que nem sempre se encerram na questão financeira, mas que podem trazer melhores possibilidades para um grupo. Se levarmos em conta uma cooperativa de produção, ganha-se em escala, que ao fim das contas garante melhores negociações. Numa cooperativa de trabalho, os ganhos podem ser no menor custo para o grupo, por exemplo, ao alugar um local para que as suas funções possam ser realizadas. Em grupo, investimentos para o crescimento também podem ser feitos de uma maneira que seria impossível ao se trabalhar individualmente. Esse tipo de cooperado, normalmente, é ao mesmo tempo proprietário e trabalhador.

4) Franqueado

O empreendedor franqueado normalmente é aquele que tem um bom capital inicial para investir. Ele recebe um modelo pronto de negócio, a missão é executá-lo. Ao mesmo tempo em que não precisa começar do zero, o franqueado vai precisar saber lidar com regras e modelos que nem sempre são os que ele considera melhor. O maior risco aí é não se adaptar ao negócio, já que praticamente não há margem para uma mudança radical no rumo do empreendimento. O franqueado admite que as decisões sejam compartilhadas com a administradora da franquia, ou seja, tem uma autonomia reduzida. Por outro lado, ele entra em um processo que já passou por testes, têm em mãos uma marca conhecida, com produtos definidos, o que minimiza em muito os riscos. Pensando na outra ponta, o franqueador também é um empreendedor. Muitas vezes foi ele que criou um negócio e agora passa a se associar a franqueados para fazer esse empreendimento crescer, o que muitas vezes não seria possível fazer sozinho.

5) Social

O empreendedorismo social tem por objetivo a criação de produtos ou serviços para a resolução ou a minimização de problemas em áreas como educação, violência urbana, saúde e meio ambiente, entre outras. O objetivo dessas empresas é transformar as comunidades em que estão inseridas. Existe hoje uma nova geração do empreendedorismo social que valoriza as mudanças em benefício da sociedade, acima dos fins lucrativos. É possível fazer parcerias com governos das comunidades locais, com empresas e instituições. O objetivo final será sempre o bem estar social da comunidade em que se está inserido.

Mãos à obra

Agora que você já sabe conhece melhor os tipos de empreendedorismo, é hora de colocar a mão na massa.  Continue acompanhando nosso blog e aprenda mais sobre mercado de trabalho e gestão de empresas.

FacebookTwitterLinkedin
Topo

Guia para usar as redes sociais no pequeno negócio

Saiba tudo sobre as principais redes sociais e comece a conquistar clientes pela internet já!

Enviando...

Ao enviar, você concorda em compartilhar suas informações com o Terra Empresas. Poderemos usá-las de acordo com nossa política de privacidade.